“Eu só queria saber como era matar” – Alyssa Bustamante


45 minutos:  Isso é quanto tempo levou Alyssa Bustamante, 15 anos, para supostamente matar sua primeira vítima de assassinato, sua vizinha Elizabeth, de apenas 9 anos.

De acordo com amigos, familiares e vizinhos, Elizabeth era uma menina “feita de açúcar e especiarias e tudo de bom, que amava gatos,  cor-de-rosa e era uma garota muito feminina”.

 

Na cidadezinha onde morava elizabeth, todo mundo se conhece. Então quando ela não conseguiu chegar em casa em 21 de outubro  da casa de um amigo, que era só um quarto de milha longe de sua própria casa, havia motivo para alarme.

 

Elizabeth, de 9 anos

 

A busca começou quase que imediatamente.  Embora tivessem dois caminhos para ir para sua casa, ela tinha tomado estranhamente um atalho pela floresta, curvando-se ao redor e atrás de  gramados e quintais vizinhos.  Quando a pesquisa começou, com a ajuda de centenas de voluntários, o clima estava ruim, o terreno do bosque era rochoso e tudo transformou-se um processo difícil.  

 

Os pesquisadores incluíram cães, bombeiros, polícia, helicópteros, FBI e polícia rodoviária. Eles foram repetidas vezes a área, mas não tiveram sucesso. O celular do Elizabeth inicialmente deu uma dica, mas pela manhã seguinte, a bateria tinha acabado.

Até este ponto,  a Comunidade e a polícia temiam que um maniaco tivesse pegado a garota enquanto ela caminhava para casa sozinha pela floresta. Ninguém suspeitava que era um membro da Comunidade, muito menos uma adolescente. Mas detalhes começaram a surgir e os boatos espalharam-se rapidamente. Uma adolescente foi descrita vista no local, então a polícia reuniu provas, escritos que conduziram à adolescente. Alyssa Bustamante não apareceu na escola no dia seguinte da morte da menina e não tinha um porquê de sua ausência. 

A polícia foi atrás da adolescente que surpreendentemente levou a polícia ao corpo. Tinha sido na floresta em que eles tinham procurado.

“Nós tínhamos passado naquela área na verdade mais de uma vez. O corpo  foi muito bem foi escondido”,  o xerife do Condado de Cole Greg White disse à imprensa.

Então foi decidido que Alyssa Bustamante iria ser julgada como adulto. Seu advogado de defesa Kurt Valentine expressou desapontamento com a decisão, dizendo: “Estamos jogando fora a criança e vamos assinar uma sentença de morte para Alyssa. Ela não vai sobreviver a seu tempo na prisão do Condado de Cole.”

 

Mas com os detalhes do assassinato que ela deu, porém, ficou claro que isto não era uma brincadeira de criança que deu errado.

 

O corpo da jovem foi encontrado em um túmulo; Alyssa admitiu cavar a sepultura uma semana antes do assassinato, dando origem à especulação de que seus irmãos gêmeos foram as vítimas originais pretendidas. 

 

Alyssa

 

Mas um detalhe da coletiva de imprensa deu as pessoas ainda mais uma pausa. Quando o promotor Cole Country Mark Richardson foi perguntado porque lá foram duas sepulturas, e se um ou ambos os túmulos tinham sido usados por Elizabeth, ele disse apenas: “Não, eu não posso te dizer isso agora.”

 

A autópsia revelou que a menina tinha sido estrangulada, a garganta e os pulsos tinham sido cortados e ela havia sido esfaqueada. E o motivo que Alyssa deu, era simples e aterrorizante. Ela  apenas afirmou que ela queria saber como era matar.

 

Depois do assassinato, uma amiga de Alyssa apareceu dizendo que ela lhe contara que queria saber como era cometer um assassinato.

 

Em seu diário que ela escreveu, “foi incrível.  Tão logo você supera o sentimento de ‘oh my god,  não posso fazer isso’, é muito agradável. Tenho de ir à igreja agora… lol.” 

 

 

  • Alyssa Bustamante

 

Alyssa Bustamante  se deliciava com sua imagem de menina má.Sua página de Facebook continha imagens dela com batom vermelho manchado, projetado para parecer sinistramente sangrenta emparelhado com maquiagem preto nos olhos. Ela cerrava os dentes e fazia caretas, isso  quando não estava fazendo beicinho como um objeto sexual. Ela era conhecida pela cidade como uma valentona.

 

Como muitos adolescentes, ela estava profundamente envolvida com mídias sociais e páginas no Facebook, Twitter e Myspace.

 

Ela tinha sido tratada por depressão severa e tinha tentado cometer suicídio. Sua conta no Twitter afirmou que ela era “um lugar que não quero ser.”. Numa  foto com batom borrado, ela aponta o dedo para a cabeça  como uma arma; muitos pequenos cortes vermelhos são visíveis no pulso interno.

 

Alyssa

 

Um Tweet algumas semanas antes do assassinato dizia: “isto é tudo que eu quero na vida; uma razão para toda essa dor.”

 

 

O crime ocorreu em 2009, porém Alyssa foi condenada à prisão perpétua somente em 2012.

Ela foi sentenciada a vida em fevereiro de 2012.

~ por Vodevil em 19 de junho de 2014.

Deixe sua dúvida, elogio ou crítica e contribua com o blog!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: