Suicídio – Fatos e figuras do mal do século.


Enquanto os homens são rápidos para alcançar uma arma, as mulheres “gravitam” em torno de uma overdose ou cortam-se. Metade de todas as pessoas que cometem suicídio, consultam um médico dentro de um mês antes de seu ato fatal.

Pais, homens obesos, e mulheres grávidas são menos propensos a cometer suicídio do que qualquer outra pessoa. Homens divorciados cometem suicídio mais do que as mulheres.

E se você é um homem de aproximadamente 65 anos de idade, ou mais, com saúde pobre, divorciado, ou que perdeu um ente querido nos ultimos tempos e está vivendo em uma área metropolitana, você faz parte do grupo de maior suicídio.

Para alguns, o suicídio é impulsivo. Estudos têm demonstrado que cerca de 25% a 40%, são suicidas por apenas um curto período. Para alguns, é tão pouco quanto uma hora. Eles acordam um dia e simplesmente querem acabar com sua própria vida, e à noite eles estão prontos para licitação que adiaram. A cada 34 segundos, uma pessoa comete tentativa de suicídio. E uma morte por suicídio ocorre a cada 25 tentativas.

Já os suicídas não-impulsivos, planejam o ato por muito tempo, sempre acham que suas vidas precisam acabar. Para o impulsivo – que, muitas vezes, escolhe salto ou uma arma como um meio para seu fim – estudos revelam que a adição de obstáculos ao seu método, podem retardar o seu impulso irracional. É por isso que muitas pessoas que possuem familiares com tendencias suicidas “constatadas” (quando são constatadas) em suas casas, guardam armas (as que possuem armas em casa rs) bloqueadas e descarregadas, e medicamentos normalmente guardados em armários altos e gavetas trancadas.

Por último, não há localização e método, que são tão específicos e pessoais, como o ato em si. Para o impulsivo, isso pode significar uma ponte. Para o excesso de controle, talvez seja sua casa, rodeado pelo conforto de objetos. Outros selecionam a solidão tranquila de um hotel, onde seu ato pode ter um lugar sem interrupções e sem ser notado, sem bagunça para uma família ou amigos limparem. Para alguns, como a atriz Peg Entwistle, que pulou o sinal de Hollywoodland, o método de suicídio é simbólico, acrescentando significado desafiador para o seu ato: o uso da arma de um pai, a ingestão de comprimidos de uma mãe, a morte de um amante ao mesmo tempo de férias e do tiroteio subseqüente de si mesmo. Algumas notas de licença e alguns simplesmente desaparecem, deixando a sua morte mais de um mistério durante a remoção do suicídio, estigma negativo pode trazer, sem provas, tudo é possível. Sem provas concretas, nada está escrito em pedra.

Embora o suicídio termine com uma vida, ironicamente, ele mantém a história de vida do próprio suicida viva. Independentemente do método ou local, planejado ou impulsivo, o tormento interior do suicida e a angústia absoluta, assombram nossa cultura por décadas, séculos e até mesmo milênios.

~ por Vodevil em 14 de abril de 2012.

Uma resposta to “Suicídio – Fatos e figuras do mal do século.”

  1. TODOS NÓS EM ALGUMA ÉPOCA DE NOSSAS VIDAS JÁ QUIS MORRER, OU TENTOU, PORQUE A VIDA É CRUEL COM A GENTE. EU MESMO , JÁ TENTEI SUICÍDIO , MAS ESTOU VIVO COM 49 ANOS , HOJE, NÃO ERA PARA MORRER JOVEM. ACHO QUE VOU MORRER VELHO.
    VICENTE DIAS.

    Curtir

Deixe sua dúvida, elogio ou crítica e contribua com o blog!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: