Genocídio, Homicídio, Infanticídio e Suicídio


Estava olhando vagamente os termos pesquisados no blog, e vi uma pesquisa mais ou menos assim: “a diferença entre infanticídio, homicídio e genocídio”, e isso me chamou muito a atenção. Então resolvi fazer um post sobre isso. Espero que esclareça as dúvidas…

Genocídio tem sido definido como o assassinato deliberado de pessoas motivado por diferenças étnicas, nacionais, raciais, religiosas e (por vezes) políticas. Há algum desacordo, entre os diversos autores, quanto ao fato de se designar ou não como genocídio os assassinatos em massa por motivos políticos. O genocídio é um tipo de “limpeza étnica”.
O termo genocídio foi criado por Raphael Lemkin, um judeu, em 1944. Com o advento do genocídio dos judeus pelo regime nazi, o Holocausto, Lemkin fez campanha pela criação de leis internacionais, que definissem e punissem o genocídio. Esta pretensão tornou-se realidade em 1951, com a Convenção para a prevenção e repressão do crime de genocídio.
O genocídio foi, na época da colonização européia na América Latina e na África, largamente utilizado para que com o extermínio dos povos indígenas, se tornasse mais fácil para a Europa a escravização daqueles que lá habitavam.

Homicídio é um crime que consiste no ato de uma pessoa matar outra e está descrito no art. 121 do código penal brasileiro. Homicídio culposo, o que é cometido sem a intenção de causar a morte, mas por negligência, imprudência ou imperícia. Homicídio doloso, o que é cometido voluntariamente, ou seja, matar por mera vontade de matar.

A expressão infanticídio, do latim infanticidium sempre teve no decorrer da história, o significado de morte de crianças, especialmente de recém-nascidos.
Infanticídio é um crime contra a vida. Antigamente referia-se a matança indiscriminada de crianças nos primeiros anos de vida, mas para o Direito brasileiro moderno, este crime somente se configura se a mulher, quando cometeu o crime, estava sob a influência do estado puerperal (Estado puerperal é o período que vai do deslocamento e expulsão da placenta à volta do organismo materno às condições anteriores à gravidez. Em outras palavras, é o espaço de tempo variável que vai do desprendimento da placenta até a involução total do organismo materno às suas condições anteriores ao processo de gestação.), logo após o parto ou mesmo depois de alguns dias.
No Império Romano e também em algumas tribos bárbaras a prática do infanticídio era aceita para regular a oferta de comida à população. Eliminando-se crianças, diminuía-se a população e gerava um pseudo controle administrativo por parte dos governantes.
Na atualidade, a China é um país onde há elevado índice de infanticídio feminino. Neste país é prática comum cometer aborto quando o bebê é uma menina, o que gerou um desequilíbrio entre os sexos na população do país.

Suicídio é o ato intencional de matar a si mesmo. O suicídio é a segunda principal causa de morte em pessoas entre 15 e 24 anos, vindo atrás de acidentes de carro. As mulheres são mais suscetíveis do que os homens a tentar suicídio, mas eles têm muito mais probabilidade de êxito.

A maioria das pessoas que cometem suicídio tem algum transtorno mental. Dentre estes, as principais causas de suicídio são:

-Depressão,
-Dependência a drogas,
-Transtorno bipolar,
-Anorexia,
-Esquizofrenia,
-Transtorno de personalidade.
-Dificuldades financeiras e/ou emocionais também desempenham um fator significativo nas principais causas de mortes.

A cada ano, aproximadamente 1 milhão de pessoas do mundo inteiro cometem suicídio, a cada 40 segundos, alguém morre tirando a própria vida e a cada 20 tentativas de suicídio, uma é concretizada. Desde 1965, o índice mundial de suicídios aumentou 60%.

O suicídio medicamente assistido (Eutanásia, ou o “direito de morrer”) é uma questão ética atualmente muito controversa que envolve um determinado paciente que esteja com uma doença terminal, ou em dor extrema, que tenha uma qualidade de vida muito mínina através de sua lesão ou doença. Para alguns, o auto sacrifício geralmente não é considerado suicídio, uma vez que o objetivo não é matar a si mesmo mas salvar outrem.

~ por Vodevil em 20 de julho de 2011.

5 Respostas to “Genocídio, Homicídio, Infanticídio e Suicídio”

  1. Conjunto de bilhetes suicidas.

    http://www.avesso.net/suicid6.htm

    Curtir

  2. A primeira vez que eu vi esses bilhetes foi no twitter da @bru_vodevil.
    É bem interessante.

    Curtir

  3. Nossa adorei esse post seu, muito esclarecedor.

    Curtir

  4. gostei muito me foi muito util.

    Curtir

  5. Na socidad moderna, imfantigidio virou crime adolescente, cometido entre meninos a luz do dia

    Curtir

Deixe sua dúvida, elogio ou crítica e contribua com o blog!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: