Os avós assassinos – Ray e Faye Copeland


Serial killers muitas vezes começam a matança quando eles são adultos jovens. No entanto, para Ray e Faye Copeland, sua ânsia de matar veio com sua aposentadoria.

foto do casal

foto do casal


Esse casal, ambos de 70 anos, deixaram de ser avós amorosos para serem serial killers, que usavam as roupas de suas vítimas para fazer uma colcha de inverno quente a aconchegar-se nela, o que é ao mesmo tempo mórbido e intrigante.

Em outubro de 1989, a polícia de Missouri recebeu uma denúncia de que um crânio e ossos humanos poderiam ser encontrados em terras de propriedade de um casal de idosos, Ray e Faye Copeland. A útlima restrição conhecida de Ray Copeland com a lei envolveu um uma fraude de animais domésticos, então quando a polícia, dentro da casa de fazenda de Ray questionou sobre a fraude, as autoridades fizeram uma busca na propriedade. Não demorou muito tempo para encontrarem cinco corpos em decomposição enterrados em covas rasas ao redor da fazenda.

Ray Copeland

Ray Copeland

O relatório da autópsia determinou que cada um tinha levado um tiro na nuca à queima-roupa. Um cadastro com nomes de passageiros que os peões haviam trabalhado para o Copeland ajudaram a polícia a identificar os corpos. Doze dos nomes, incluindo as cinco vítimas encontradas, tinha um ‘X’ em escrita manual, marcada pelo nome.
As autoridades encontraram uma espingarda calibre .22 no interior da casa de Copeland, que testes balisticos provaram ser a mesma arma utilizada nos assassinatos. A parte mais perturbadora das provas, além de ossos espalhados e da espingarda, era uma colcha artesanal feito de roupas das vítimas mortas.

Faye Copeland

Faye Copeland

Os Copeland foram rapidamente acusados de cinco assassinatos, os corpos foram identificados como Jason Paul Cowart, W John Freeman, Jimmie Dale Harvey, de Wayne Warner e Dennis Murphy. Faye Copeland alegou não saber nada sobre os assassinatos. Mesmo depois de ter sido presa e ter sido oferecido um contrato para mudar o encargo dos assassinatos para conspiração para cometer assassinato em troca de informações sobre os sete homens desaparecidos, negou tudo. Embora uma acusação de conspiração teria significado um ano a menos de prisão, em comparação com a possibilidade de receber a sentença de morte, Faye continuou a insistir que ela não sabia nada sobre os assassinatos.

Ray primeiro tentou alegar insanidade, mas finalmente desistiu e tentou trabalhar um acordo judicial com as autoridades. As autoridades não estavam dispostas a formar um acrodo e as acusações de assassinato em primeiro grau permaneceram intactas.
Durante o julgamento o advogado tentou provar que Faye foi outra das vítimas de Ray e que ela sofria de Síndrome de Mulheres Maltratadas. Há pouca dúvida de que Faye tinha realmente sido uma esposa espancada, mas isso não foi suficiente para o júri a desculpar. O júri considerou Faye Copeland culpada de assassinato e foi condenada à morte por injeção letal. Pouco tempo depois, Ray também foi considerado culpado e sentenciado à morte.

A década dos Copeland fez sua marca na história por ser o mais antigo casal para ser condenado à morte, contudo, não foram executados. Ray morreu em 1993 no Corredor da Morte. E Faye foi comutada para prisão perpétua. Em 2002, Faye foi libertada da prisão por causa de sua saúde debilitada e ela morreu em um lar de idosos em dezembro de 2003, aos 83 anos.

~ por Vodevil em 20 de março de 2011.

Deixe sua dúvida, elogio ou crítica e contribua com o blog!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: