“Aqui é o Zodíaco falando”


O primeiro casal foi morto a tiros em 1968 próximo ao reservatório de São Francisco (EUA) poucos dias antes do Natal. Era o início de uma série de crimes que deixaria em pânico a população local entre a década de 60 e 70. No ano seguinte, no dia 4 de julho, um outro casal foi atacado de forma semelhante: baleados dentro de um carro, a garota, que era muito parecida com a primeira vítima, morreu na hora, mas seu namorado, mesmo gravemente ferido sobreviveu e fez uma descrição do assassino: ele seria um homem alto e musculoso e estava perseguindo sua namorada há alguns dias.

Depois deste crime o assassino passou a escrever cartas endereçadas a polícia, onde se identificava como “…o assassino dos dois adolescentes do último Natal e da garota do 4 de Julho…”. Algum tempo depois um novo casal foi atacado. Eles foram amarrados em uma árvore e esfaqueados por um homem encapuzado. Novamente apenas o namorado sobreviveu. Numa nova carta a polícia o assassino afirmou: “…Adoro matar pessoas…é mais diverido do que caçar, porque o homem é o animal mais perigoso de todos”

“Meu nome é Zodíaco. Matei dez pessoas, e matarei ainda mais. Quando morrer renascerei no paraíso e todos que matei serão meus escravos.” A partir daí o assassino passou a ter um nome e uma motivação. Passou também a ter fama nacional por “jogar” com a polícia.

Seu próximo crime foi o assassinato de um taxista. Em novas cartas, o Assassino do Zodíaco ameaçou atacar um ônibus escolar e matar as crianças uma a uma. Ameçou também explodir um ônibus, o diagrama da bomba que seria usada foi enviado a polícia e se revelou realmente funcional.

Usando o depoimento dos poucos sobreviventes a polícia realizou um retrato falado e traçou um perfil psicológico do criminoso: ele seria branco, teria cabelos ruivos e curtos, óculos grossos com armação preta, musculoso, bem vestido, bom atirador, conhecedor de química, fabricação de bombas, história, mitologia, ocultismo e ainda por cima (devido a citações de suas cartas) era um cinéfilo.

O Assassino do Zodíaco nunca foi capturado e em sua última carta afirmou que mudaria o modo de seus assassinatos, fazendo com que seus crimes parecessem apenas assaltos seguidos de morte e que não se comunicaria mais com a polícia. Zombou novamente da polícia dizendo que nunca seria preso.

O Assassino do Zodíaco é um dos mais famosos serial killers americanos, seus crimes inspiraram filmes como “Dirty Harry” e o filme B de 1971 “The Zodiac” Killer. Robert Graysmith é autor de dois livros sobre o assunto: Zodiac (1986) e Zodiac Unmasked: The Identity of America’s Most Elusive Serial Killer Revealed (2002). Em 1968, Graysmith era cartunista do jornal San Francisco Chronicle, para o qual o assassino enviava suas correspondências. As cartas inspiraram Graysmith a iniciar sua própria investigação. Na época, ele acreditava ter identificado o assassino, mas outras investigações e circunstâncias nunca levaram a uma prisão. O homem em questão faleceu em 1992.

~ por Vodevil em 21 de fevereiro de 2011.

Deixe sua dúvida, elogio ou crítica e contribua com o blog!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: