A história do ácido mortal: Jeffrey Dahmer


21 de Maio 1960 – 28 de Novembro, 1994)

Foi um serial killer, em atividade entre 1978 e 1991, sendo a maioria dos assassinatos ocorridos entre 1989 e 1991. Seus crimes eram particularmente hediondos, envolvendo estupro, necrofilia e canibalismo.
Dahmer assassinou 17 homens e garotos entre 1978 e 1991. A maioria de suas vitimas eram homens negros.

Dahmer nasceu em Milwaukee, Wisconsin, no dia 21 de maio de 1960, às 15h34m. Filho de Lionel e Joyce Dahmer. Sua família em breve se mudou para Bath, Ohio, aonde estudou na Revere High School.
Dahmer dissecava animais mortos, era alcoólatra e solitário, quando adolescente.
Dahmer estudou na Universidade de Michigan, mas largou o curso após dois semestres. O pai de Dahmer então o forçou a entrar no Exército, aonde ele foi forçado a servir por seis anos mas foi dispensado após dois anos, devido ao seu alcoolismo.
Quando o Exército dispensou Dahmer em 1981 eles lhe deram uma passagem de avião para qualquer lugar no país. Dahmer disse a polícia que não conseguiria ver seu pai então foi para Miami Beach, Florida porque ele estava “cansado do frio”.
Em 1982 Dahmer mudou-se para casa da sua avó, em West Allis, Wisconsin, onde morou durante seis anos.
Em Agosto desse mesmo ano foi detido por expor a si mesmo numa feira estatal.
Em Setembro de 1986 foi novamente preso por exposição pública (atentado ao pudor), depois de dois rapazes o terem acusado de se masturbar em público. Foi condenado a um ano de prisão, no entanto só cumpriu 10 meses.
Jeffrey Dahmer
No Verão de 1988 a sua avó pediu-lhe que saísse de casa, devido ás suas noitadas e maus cheiros provenientes do porão. Dahmer mudou-se para um apartamento em Milwaukee’s West side.

A 25 de Setembro de 1988 foi detido por molestar um rapaz de 13 anos.
Foi novamente condenado a um ano, tendo cumprido 10 meses. Dahmer convenceu o juiz que precisava de terapia e foi libertado. Pouco depois começou uma onda de crimes, que só terminaram em 1991.
Dahmer cumpriu a pena no Columbia Correctional Institution em Portage, Wisconsin, onde se tornou Cristão.
Esta conversão ocorreu graças ao material evangélico enviado pelo seu pai. Roy Ratcliff, um padre local concordou em batiza-lo.

Depois de assistir a um serviço religioso na capela da prisão, um preso tentou cortar a garganta de Dahmer com uma lâmina de navalha. Dahmer ficou apenas com feridas superficiais.

Em 28 de Novembro de 1994 Dahmer e outro preso Jesse Anderson foram espancados até á morte por Christopher Scarver. Dahmer morreu a caminho do hospital, devido a vários traumas na cabeça. O apartamento 213 (onde Dahmer vivia e levava suas vítimas) foi demolido e agora é um lote vago.

Existem planos para o tornar num jardim em memória às vitimas.

p.s: Há alguns posts anteriores no blog com relatórios da policia sobre o apartamento de Dahmer, confissões, cartas e imagens de Jeffrey Dahmer

~ por Vodevil em 1 de fevereiro de 2011.

2 Respostas to “A história do ácido mortal: Jeffrey Dahmer”

  1. Um homem bonito, bastante atraente, com esse rosto calmo parecendo um anjo… Por baixo disso tudo é um homem perigoso que as vítimas não imaginavam que era. Ele é o serial killer mais fascinante que já vi, porque parece que ele não queria fazer o que fez, todas aquelas barbaridades, brutalidades contra os outros, o olhar frio que ele tem, ao mesmo tempo transmite uma calma, uma inocência perdida. Não consigo explicar. Esse caso é cabuloso, difícil entender como um ser humano é capaz de tantas atrocidades.

    Curtir

  2. Segundo ele mesmo relatou, nao tinha prazer em matar os rapazes. Ele os matava para que nao partissem.
    Gente ele era do mau, mto diabolico. Tao bonito nem precisava disso.
    Tao lindo que era…

    Curtir

Deixe sua dúvida, elogio ou crítica e contribua com o blog!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: