A “boneca-cadáver” de Carl Von Cosel


Em 1931 em Key West, na Flórida, o radiologista Carl Von Cosel, 56 anos, tornou-se obcecado por um dos pacientes com tuberculose no sanatório onde ele trabalhava. Seu nome era Maria Elena de Hoyos, e ela tinha 22 anos, uma mulher bonita. Von Cosel esperava se casar com ela, mas antes que pudesse responder a sua atenção, ela enfraqueceu e morreu. Ele pediu à família para não enterrá-la. Temendo a contaminação de seu corpo com águas subterrâneas, ele construiu um mausoléu para ela no cemitério, concervava-a em formol. Em segredo, ele sentava-se e tinha “conversas” com o cadáver. Ele até deixou um telefone no mausoléu, para que ele pudesse falar com ela enquanto estivesse fora. Este homem era claramente obcecado. Um dia ele simplesmente decidiu ilegalmente remover o cadáver dela e levá-lo para sua casa.

Para mantê-la em boa forma, von Cosel trouxe um fornecimento regular de conservantes e perfumes, mas um dia, o cadáver de Maria Elena finalmente começou a se deteriorar. Usando cordas de piano para manter seus ossos juntos, substituindo seus olhos podres por olhos de vidro e cobrindo sua pele decomposta com uma mistura de cera e seda, ele recriou o corpo do cadáver, o transformou em uma espécie de “boneca”. Como o cabelo do cadáver havia caído, ele o usou para fazer uma peruca para colocar em sua cabeça. Encheu o corpo dela com trapos para mantê-la inteira e vesti-a em um vestido de noiva, ele a manteve ao seu lado na cama.Ele havia inserido um tubo no corpo decrépito para servir como uma vagina, para fazer sexo.

Von Cosel e ao lado, sua "boneca-cadáver"

Von Cosel e ao lado, sua "boneca-cadáver"


Ele conseguiu esconder isso por sete anos até Hoyos, sua irmã, acidentalmente cair sobre o “cadáver-boneca”, na casa de von Cosel. Horrorizada, ela chamou a polícia.

Von Cosel foi preso, mas o prazo prescricional se esgotou, no seu crime do roubo de sepulturas, assim que foi posto em liberdade, Maria Elena foi enterrada em uma área secreta e sem marcação. Von Cosel mudou para a Flórida, onde venderam postais de sua amada. Mesmo quando ela foi tirada dele, ele não conseguia esquecê-la. Quando ele finalmente morreu em 1952, ele foi encontrado em uma sala com uma boneca grande em seus braços, que usava máscara de morte de Elena.

~ por Vodevil em 3 de janeiro de 2011.

6 Respostas to “A “boneca-cadáver” de Carl Von Cosel”

  1. essa é uma das minhas historias preferidas

    Curtir

  2. concordo com você.

    Curtir

  3. realmente, muito interessante essa historia ,

    Curtir

  4. Deus me livre…so de imaginar, ja me da calafrios…tem cada louco!!!

    Curtir

  5. […] https://convulssion.wordpress.com/2011/01/03/a-boneca-cadaver-de-carl-von-cosel/ […]

    Curtir

  6. […] Convulssion. A Boneca Cadáver de Carl von Consel. […]

    Curtir

Deixe sua dúvida, elogio ou crítica e contribua com o blog!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: